quarta-feira, 29 de julho de 2015

Procuram-se Vanessas pra falar de amor


   Procuram-se Vanessas pra falar de AMOR!
  É um belo caso de oração subordinada adverbial final (com um ligeiro desvio de norma culta).
  Uma frase que, sintaticamente analisada, pode não dizer muita coisa, mas... E se encontrada em um poste, impressa em um papel branco, com letras pretas, simples, o que quer dizer?! (Detalhe: não qualquer poste, mas um poste na Avenida Paulista, com certeza não só eu veria, mas meu nome não é Vanessa).
  Quem procura amor? E por que Vanessas?! Só se pode falar de amor com Vanessas?! Ou foi simplesmente uma Vanessa de um dia, ou noite, qualquer marcou e ficou (mas se marcou, por que não pegou o contato?).
  Mas penso, o que se passa na cabeça das pessoas e das Vanessas ao ver tal coisa?!
  Será que alguma Vanessa vai se compadecer e ligar?! (é, mas vai ter que pagar interurbano, o DDD é 48).
  Será que alguém vai pensar que é um despautério tal anúncio?
  Será isso mesmo um anúncio e não só uma brincadeira?
  Alguém realmente está procurando o amor?! Mas, por que restringir o amor só às Vanessas, se Marias, Cecílias, Helenas, Clarices, etc, também podem amar....
  Procuram-se VANESSAS pra falar de amor!
  Vanessas, por favor, liguem... Não deixem passar assim, um pedido de alguém que quer falar de amor... Ou de repente, até mesmo, amar...

O segredo de seus olhos

  Seus olhos, um vitral, o mais agradabilíssimo de se ver.   Seus olhos, um mistério, o que eu mais gostaria de entender.   Seus olhos,...