quinta-feira, 5 de maio de 2016

O tempo

Não importa as voltas que o mundo dê
Ou o quanto o tempo passe
O branco do papel sempre volta a ameaçar

Não pelo fato de ser branco
Mas sim pelo o que ele representa
Afinal de contas, o branco do papel
Mostra o branco que está presente na ausência de acontecimento

Um paradoxo muito plausível
Que nos dias de hoje nos encontramos
Acontece tanta coisa conosco
Que acaba não acontecendo nada

           É o tempo diminuto
                        Diminuído
                              curto
                        para
                                fazer
                               o que
                       necessitamos

Para usá-lo em coisa que precisamos
Ou melhor, fazemos para sobreviver...
Viver dedicando o tempo a uma sobrevida
Vivida aos trancos e barrancos da necessidade
De se encaixar em uma vida que às vezes
Não é a nossa que queríamos ter...
Só esquecemos de dedicar o tempo para
                         SER!

Por isso que o branco do papel é intimidador!
Mostra o tempo que estamos perdendo para ter
E não o tempo que deveríamos usar para ser.

O segredo de seus olhos

  Seus olhos, um vitral, o mais agradabilíssimo de se ver.   Seus olhos, um mistério, o que eu mais gostaria de entender.   Seus olhos,...