segunda-feira, 6 de junho de 2016

O garotinho da vizinhança

  Anos já se passaram e a sua lembrança, hoje, já é muito vaga, mas nunca irá se apagar, completamente... O primeiro amor!
  É aquele tipo de amor que nasceu, mais para ser ideia do que realidade, aquele que nasceu para ser totalmente imaginação.
  É o sonho com o príncipe encantado do cavalo branco, ideia simples e longínqua, às vezes, sem a intenção de acontecer. Se completa e realiza, pura e simplesmente, por saber existir o ser.
  O amor novo e imaturo. Imaginativo e ingênuo. Intenso e dramático. Nada se compara a isso.
  E agora, depois de anos, casamento, filhos, vida, olha-se ao longe, o antigo garotinho da vizinhança, os anos no rosto, o cabelo grisalho, e sente-se o friozinho na barriga, os antigos sentimentos, como que, por 5 segundos, volta-se a ser a garotinha sonhadora... E volta-se para vida...
  

O Retrato

  Era um olhar encantador.   Uma candura na forma de rosto de menina, de mulher, que conseguia esconder bem, todos os seus segredos. Era ...