segunda-feira, 27 de março de 2017

O descobridor de palavras

  - Pedro, queria saber uma coisa! É muito sério! - falou Lucas com gravidade na voz.
  - Nossa, Lucas, fiquei até com medo! Aconteceu alguma coisa com você? - perguntei preocupado.
  - Sim!!! Eu estou pensando...
  - Ah! Só isso?! Até aí, nenhuma novidade... - exclamei rindo.
  - Mas eu queria saber, porque as palavras são assim, Pedro.
  - Assim como, menino?!
  - Assim, olha! Você já parou para pensar como as palavras são estranhas? Olha, você pega o lápis, ou a caneta, aí você faz umas voltinhas engraçadas e a palavra sai. Aí, tem outra coisa também!
  - Tem?! - perguntei segurando o riso. - E o que é?
  - Além das palavras morarem nas voltinhas engraçadas dos lápis ou das canetas, se bem que eu não sei se elas moram nos lápis e nas canetas ou se é na nossa mão, mas, como eu sei que essa palavra significa essa palavra de verdade?
  - Ué! Se eu entendi bem, eu acho que a gente sabe o que cada palavra tem o significado que tem, porque vemos no dicionário! Lá tem o significado das palavras! - expliquei para o pimpolho.
  - Tá! Mesmo assim, Pedrinho! Como eu sei que mesa é mesa? Quem deu esse nome? Como eu sei que mesa é mesa de verdade? E se o nome de verdade não é cadeira? Você já pensou? Já podemos estar chamando coisas com o nome errado por vários vários vários tempos e nem sabemos! - falou Lucas, abismado.
  - Mas, Lucas, calma, é só uma questão de...
  - Eu quero saber!!! - falou Lucas, afoito.
  - Isso é questão de como as pessoas inventaram as línguas, há séculos, foi simplesmente atribuição de significados...
  - Ah, Pedrinho! Mas isso é muito complicado! - exclamou o pequeno. - será que um dia eu vou conseguir entender tudo o que eu quero entender?
  - Sinceramente, eu espero que não! Afinal de contas, que graça sua vida teria, se você não tiver mais nada para descobrir? - indaguei.
  - Verdade! De hoje em diante, eu vou ser um descobridor de palavras! - disse Lucas decidido. - Vou ter muita coisa para descobrir, porque existe mais de um milhão de palavras (não sei de onde ele tirou isso), e a minha primeira descoberta vai ser descobrir onde posso descobrir as palavras!
  E saiu correndo para a biblioteca, descobrir onde se descobrem as palavras.

Nenhum comentário:

O Retrato

  Era um olhar encantador.   Uma candura na forma de rosto de menina, de mulher, que conseguia esconder bem, todos os seus segredos. Era ...